quarta-feira, março 25

Hummus de Beterraba Assada :: Roasted Beet Hummus




Please scroll down for English version

Lá fora um vento frio teima em embrulhar-se nas árvores e há uns quantos farrapos cinzentos a querer esconder o azul o do céu, mas o calendário não engana. A Primavera voltou finalmente. Ainda tem de vencer esta timidez, própria de quem acabou de chegar, mas já se sente no ar o cheiro a dias mais coloridos. A manhãs solarengas, a piqueniques na relva e aos primeiros jantares debaixo das estrelas.

Este hummus não quis esperar mais e deixou-se tingir pelo irresistível tom fúcsia das beterrabas, numa versão bem vaidosa do famoso dip, e aqui entre nós não poderia pensar numa melhor maneira de receber esses dias pintados de coisas boas. Adoro a combinação do sabor profundo das beterrabas com o doce primaveril do funcho e o caramelo do balsâmico, tudo misturado numa colorida amizade feita lentamente no forno. Depois é só envolver com a cremosidade do grão-de-bico, salpicá-lo com o crocante dos pistácios e passar horas a petiscar, perdidos em conversas com os amigos.

Bem-vinda Primavera. Tínhamos saudades.




Outside, an ice cold wind stubbornly wraps up in the trees and there're a few gray rags wanting to hide the blue of the sky, but the calendar doesn't lie. Spring has finally returned. She has yet to win this shyness, typical of who just arrived, but we can already feel in the air the smell of the colorful days ahead. The sunny mornings, picnics on the grass and the first dinners under the stars.

This hummus couldn't wait any longer and allowed dyed himself with the irresistible fuchsia of beets, in the prettiest version of the famous dip, and I couldn't think of a better way to receive all the good things Spring promises. I love the combination of the deep flavor of beets with the springy fennel and the balsamic caramel, all mixed in a colorful friendship made slowly in the oven. Then just mix them with the creaminess of chickpea, sprinkle it with crunchy pistachios and spend hours snacking, lost in laughs and talks with friends.

Welcome Spring. We missed you.



Hummus de beterraba assada
V / SG
Para 4 a 6 pessoas

Ingredientes
2 Beterrabas médias
250 g de Grão-de-bico cozido
2 colheres de sopa de Tahine
Sumo de 1/2 limão
3 dentes de Alho
2 colheres de sopa de Vinagre Balsâmico
1 colher de sopa de Azeite
2 raminhos de Tomilho fresco
2 raminhos de Funcho fresco
1 folha de Louro
Sal Marinho integral
Pimenta preta moída na hora

Para servir
Azeite
Pistácios
Funcho fresco
Microvegetais
Pimenta preta moída na hora

Preparação
Pré-aquecer o forno a 18oº e colocar uma folha de papel vegetal num tabuleiro.
Descascar as beterrabas e cortar em quartos ou oitavos, conforme o tamanho.
Colocá-las no tabuleiro e regar com o azeite e o vinagre balsâmico.
Acrescentar os alhos descascados e ligeiramente esmagados, o funcho, o tomilho e a folha de louro e temperar com um pouco de sal e pimenta preta.
Tapar o tabuleiro com papel metálico e levar ao forno entre 30 a 45 minutos.
Retirar do forno e deixar arrefecer um pouco antes de destapar.
Retirar a folha de louro e o tomilho e passar tudo para um processador de alimentos aproveitando o molho do assado.
Acrescentar o grão de bico, o tahine, o sumo de limão e um fio de azeite e triturar até se obter um puré grosso.
Servir num prato com um fio de azeite, uma mão cheia de pistácios grosseiramente picados, funcho e micro vegetais e polvilhar com pimenta preta acabada de moer.

Dica: O tahine é uma pasta de sementes de sésamo que podem encontrar em lojas de produtos naturais e em algumas áreas de alimentação saudável dos hipermercados.

---

Roasted Beet Hummus

V / SG
Server 4-6 

Ingredients
2 medium Beets
250 g cooked Chickpeas
2 tbsp Tahine
Juice of 1/2 Lemon 
3 Garlic Cloves
2 tbsp Balsamic Vinegar
1 tbsp Olive Oil 
2 sprigs fresh Thyme
2 sprigs of fresh Fennel
1 Bay leaf
Whole Sea Salt
Freshly ground black pepper hour

To serve
Oil
Pistachios
Fresh fennel
Micro vegetables
Freshly ground black pepper hour

Directions
Preheat oven to 18oº and line a baking tray with parchment paper.
Peel the beets and cut them into quarters or eighths, depending on the size.
Put them in the tray and drizzle with olive oil and balsamic vinegar.
Add the peeled and lightly crushed garlic, fennel, thyme and bay leaf and season with a pinch of salt and black pepper.
Cover the tray with metallic paper and bake for 30 to 45 minutes.
Remove from the oven and allow to cool slightly before removing the metallic paper.
Remove the bay leaf and thyme and add everything to a food processor including the roasting juices.
Add the chickpeas, tahine, lemon juice and a drizzle of olive oil and grind until a thick puree.
Serve on a plate with a drizzle of olive oil, a handful of coarsely chopped pistachios, fennel and micro vegetables and sprinkle with freshly ground black pepper.

Tip: Tahine is a sesame seeds paste that you can find in health food stores, eastern food stores or in the health areas of some supermarkets.


quarta-feira, março 11

Mousse de Chocolate e Abacate :: Chocolate Avocado Mousse


Please scroll down for English version

Esta mousse já foi rainha nestas famosas tarteletes vaidosas mas para o Observador resolvi fazer um artigo só para ela para que pudesse brilhar sozinha como qualquer rainha merece. Se só agora estão a visitar este blogue e a franzir a sobrancelha ao imaginar abacate e chocolate juntos, deixem-se ficar, porque à primeira colherada nesta mousse vão estar completamente rendidos a esta combinação feita num qualquer paraíso guloso.

Esta é provavelmente a mousse de chocolate mais fácil do mundo, incrivelmente rica e cremosa e cheia de super poderes numa combinação deliciosa dos antioxidantes do cacau com as gorduras boas do abacate. Saibam tudo sobre eles aqui e aqui.

Quem consegue resistir a uma sobremesa com tantas coisas boas? Vá… Tentem não a comer ao pequeno-almoço.




This mousse was already the queen in these famous tartlets, but for Observador (a digital Portuguese newspaper) I decided to do an article all to herself, so she could shine alone as any queen deserves. If you're new to this blog and are wrinkling your brow at the thought of avocado and chocolate together, I strongly advice you to stick around, because at the first spoonful of this mousse you'll be completely surrendered to this match made in a sweet, sweet paradise.

This is probably the easiest chocolate mousse in the world, incredibly rich, creamy and full of super powers in a delicious combination of cacao's antioxidants with the healthy fats from avocado. Know all about them here and here.

Who can resist a dessert filled with so many good things? Ok... Try not to eat it for breakfast, or go ahead and do it! It's that good!





Mousse de Chocolate e Abacate
V / SG / R
2 a 4 pessoas

Ingredientes 

2 Abacates maduros, médios
4 colheres de sopa de Cacau em pó, de preferência cru
50 g de Chocolate de Cozinha com 70% cacau ou superior, derretido em banho maria, opcional
6 Tâmaras Medjool, sem caroço
1/2 colher de chá de Canela em pó
1 pitada de Sal Marinho integral

Para servir
Pistácios ligeiramente tostados
Pepitas de Cacau Cru
Coco em lascas tostado

Preparação

Cortar os abacates ao meio, com uma colher retirar a polpa.
Colocar todos os ingredientes num processador de alimentos e misturar até se obter um creme macio.
Servir em tacinhas salpicado com o coco, os pistácios e as pepitas.

Dica: As tâmaras Medjool são umas tâmaras grandes, muito suculentas e macias, e normalmente vendidas sem conservantes. Se não encontrarem podem ser substituídas por 4 colheres de sopa de mel ou xarope de ácer ou até por uma banana bem madurinha.

---

Chocolate Avocado Mousse
GF / R
Serves 2 to 4

Ingredients
2 medium Avocados
4 tbsp Raw Cacao Powder
50 g Culinary Chocolate with 70% cacao or higher, melted in bain marie, optional
6 Medjool Dates, pitted
1/2 tsp ground Cinnamon
1 pinch of Whole Sea Salt

To serve
Slightly toasted Pistachios
Raw Cacao Nibs
Toasted Coconut flakes

Directions
Cut the avocados in half, and with a spoon remove the pulp .
Place all ingredients in a food processor and mix until a smooth cream.

Serve in bowls sprinkled with  coarsely chopped coconut flakes, pistachios and cacao nibs.


Tip: Medjool dates are a big, very juicy and tender type of dates, and usually sold without preservatives. If you can't find them, you can replace them with 4 tablespoons of honey and maple syrup, or even with 1 really ripe banana.


quarta-feira, fevereiro 25

Batata-doce recheada com Tomatada Exótica de Grão-de-bico e Garam Masala Caseira :: Stuffed Sweet Potatoes with Exotic Chickpeas an Homemade Garam Masala

Please scroll down for English version

A Primavera está aí mesmo ao virar da esquina. Os dias andam maiores, as magnólias começam a despontar, mas eu ando com um caso gravíssimo de winter blues e a precisar urgentemente de espantar este frio cinzento do corpo.

Estas batatas-doces recheadas têm-me acompanhado ao longo destes meses escuros e são sem dúvida a derradeira comida de conforto. Os recheios podem ser mais que muitos: feijões, quinoa, legumes… Mas há qualquer coisa de mágico quando o sabor doce e caramelizado das batatas se junta a este grão-de-bico, quente, exótico e a rebentar de aromas. Depois temos o abacate com toda a sua gloriosa cremosidade, pitadinhas atrevidas de malagueta só para aquecer um bocadinho mais, a frescura dos coentros e o toque surpreendente da lima… Magia, senhoras e senhores, magia, daquela que aquece a alma e os ossos.

Vistam a vossa camisola favorita, sentem-se no sofá com estas meninas e prometo que à primeira garfada se esquecem dos dias frios lá fora.


Spring is right around the corner. The days are getting bigger, magnolias are flowering, but I have a serious case of winter blues and in dire need of getting rid of this gray cold from my body.

These stuffed sweet potatoes have accompanied me throughout these dark months and are undoubtedly the ultimate comfort food. The stuffing can be more than many: beans, quinoa, vegetables... But there is something magical when the sweet caramelized potatoes meets this hot, exotic, bursting with flavor chickpeas. Then we have the avocado with all its glorious creaminess, bold pinches of chilli just to spice things up a little bit more, the freshness of coriander and the surprising touch of lime... Magic, ladies and gentlemen, magic, the kind that warms the soul and body.

Wear your favorite comfy sweater, sit on the couch with these girls and I promise that with the first bite you'll forget the cold weather outside.


























Batata-doce recheada com Tomatada Exótica de Grão-de-bico
V / SG
2 pessoas

Ingredientes 

2 Batatas-doces médias
400 g de Grão-de-bico cozido
1 lata pequena de Tomate, de preferência natural e sem conservantes
1 Cebola
2 dentes de Alho
2 cm de Gengibre fresco
1/2 Malagueta Vermelha, sem sementes
1 colher de sopa de Garam Masala
1 colher de chá de Paprika
Sal Marinho integral
Pimenta Preta moída na hora
Óleo de Coco ou Azeite Virgem

Para a Garam Masala Caseira
4 colheres de sopa de sementes de coentros
2 colheres de sopa de cardamomo
2 colheres de sopa de pimenta preta em grãos
2 colheres de sopa de cravinho
1 colher de sopa de sementes de cominhos
1 colher de sopa de sementes de funcho (erva-doce)
3 estrelas de anis
3 paus de canela
1/2 noz-moscada, ralada na hora
2 folhas de louro

Para Servir
Abacate
Coentros
Lima
Malagueta


Preparação
Pré-aquecer o forno a 200º.
Lavar bem as batatas e furá-las algumas vezes com um garfo.
Levar ao forno entre 45 a 60 minutos até que fiquem tenras.
Enquanto as batatas estão no forno, preparar a tomatada.
Descascar e picar muito bem as cebolas, os alhos, o gengibre e a malagueta.
Numa panela aquecer um pouco de óleo de coco ou azeite, acrescentar as cebolas e deixar refogar até que fiquem transparentes.
Acrescentar o alho, o gengibre, a malagueta, a garam masala e a paprica e deixar cozinhar por mais uns minutos para libertar os aromas, mexendo de vez em quando.
Acrescentar o tomate ligeiramente esmagado.
Temperar com sal e pimenta, deixar levantar fervura e acrescentar o grão-de-bico.
Deixar apurar em lume brando entre 20 a 25 minutos.
Verificar os temperos e ajustar se necessário.

Para servir, fazer um corte ao longo das batatas doces e abri-las ligeiramente.
Rechear com uma dose generosa da tomatada exótica e cobrir com cubos de abacate, coentros e malagueta grosseiramente picados e raspas de lima.

Para a Garam Masala Caseira
Numa frigideira, tostar lentamente todos os ingredientes, exceto a noz moscada ralada, mexendo sempre até que comecem a libertar os aromas.
Deixar arrefecer, acrescentar a noz moscada ralada e moer muito bem num moinho de café/especiarias ou num processador de alimentos.
Para um pó mais fininho, peneirar a mistura de especiarias por um passador.
Guardar num recipiente hermético até seis meses.


O que é a Garam Masala?
É uma mistura de especiarias obrigatória na cozinha indiana, com fundamentos na milenar medicina Ayurvédica. Traduzido à letra, significa mistura (masala) quente (garam) de especiarias, e o objectivo é mesmo aquecer o corpo e aumentar o metabolismo para estimular o processo digestivo e eliminar toxinas. Perfeito, não?

Ao contrário de outras misturas, não tem malagueta, e mesmo não sendo picante tem uma presença inconfundível. Não há uma receita fixa e pode variar bastante conforme a zona do país ou até de família para família, mas os ingredientes mais usados são normalmente as sementes de coentro e de cominhos, funcho, canela, cardamomo, cravinho, pimenta preta e noz moscada.

Já há muitas misturas prontas no mercado, mas nada bate uma caseirinha, mais autêntica e fresca, que invade a casa com todo o seu perfume e nos transporta automaticamente para outros lugares.


---

Stuffed Sweet Potatoes with Exotic Chickpeas
V / GF
Serves 2

Ingredients

2 medium Sweet Potatoes
400 g of cooked Chickpeas
1 small can Tomato, preferably natural and without preservatives
1 Onion
2 Garlic Cloves
2 cm of fresh Ginger
1/2 Red Chilli, seeded
1 tbsp of Garam Masala
1 tsp Paprika
Whole Sea Salt
Freshly ground Black Pepper
Coconut oil or Virgin Olive Oil

Homemade Garam Masala 
4 tbsp Coriander seeds
2 tbsp Cardamom
2 tbsp Black Pepper, whole
2 tbsp Cloves
1 tbsp Cumin seeds
1 tbsp Fennel seeds
3 Star Anise
3 Cinnamon sticks
1/2 Nutmeg, freshly grated
2 Bay leaves

To Serve
Avocado
Coriander
File
Chilli


Directions

Preheat oven to 200º.
Wash the potatoes and pierce them with a fork.
Bake from 45 to 60 minutes until soft.
While the potatoes are baking, prepare the stuffing.
Peel and chop the onions, garlic, ginger and chilli.
In a pan heat some coconut oil, add the onions and let it cook until they are transparent.
Add the garlic, ginger, chilli, garam masala and paprika and cook for a few more minutes to open the flavors, stirring occasionally.
Add the slightly crushed tomatoes.
Season with salt and pepper, let boil and add the cooked chickpeas.
Let it simmer from 20 to 25 minutes.
Check the seasoning and adjust if necessary.

To serve, make a cut along the sweet potatoes and slightly open them.
Stuff the sweet potatoes with a generous dose of the exotic chickpeas and top with avocado cubes, coarsely chopped coriander, chilli and lime zest.

Homemade Garam Masala 

In a skillet, slowly toast all ingredients except grated nutmeg, stirring constantly until fragrant.
Remove from fire, let it cool, add the grated nutmeg and reduce the spices to powder in a coffee/spice grinder.
For a more fine powder, sift the spice mixture through a sieve.
Store in an airtight container up to six months.


What is Garam Masala?
It's a spice mix mandatory in Indian cuisine, remoting to the ancient Ayurvedic medicine. Literally, it means hot (garam) spices mixture (masala), and the goal is to warm the body and increase metabolism to stimulate the digestive process and eliminate toxins. Perfect, right?

Unlike other popular Indian mixtures, this mix doesn't use any chilly, and although it's not spicy it has an unmistakable presence. There is no fixed recipe and it can vary greatly depending on the area of ​​the country or even from family to family, but the most commonly used ingredients are usually seeds coriander and cumin seeds, fennel, cinnamon, cardamom, cloves, black pepper, and nutmeg.

You can already find many ready mixes on the markets, but nothing beats a homemade one, more authentic and fresh, that fills the house with all its aroma and automatically transports us to other places.


terça-feira, fevereiro 10

Super Chocolate Quente com Chantili de Coco :: Super Hot Chocolate with Coconut Whipped Cream

Please scroll down for English version

A tão poucos dias de se celebrar o Amor podia-vos estar aqui a dizer que este Super Chocolate Quente é a mais certeira das setas do Cupido, mas na verdade estar enamorado não é um requisito fundamental para se deixarem levar por esta dose de pura indulgência saudável.

É que para além de estar a rebentar de sabores capazes de deixar qualquer coração a ferver, este chocolate quente vai arrebitar até a alma mais friorenta. Tudo graças à poderosa combinação de Cacau Cru e Maca, dois superalimentos muito especiais que nos enchem de energia e uma deliciosa sensação de bem-estar, como se toda a Natureza nos estivesse a fazer a maior das declarações de amor. Curiosos? Saibam tudo sobre estas verdadeiras super-estrelas no final da receita.

O chantili de coco não é absolutamente obrigatório, mas quem é que não merece uma colherada (ou duas) de uma verdadeira nuvem doce por cima do seu chocolate quente?

Sozinhos ou muito bem acompanhados, a escolha é vossa, mas se fosse a vocês ia já a voar para a cozinha.

As the day to celebrate Love arrives, I could be here saying that this Super Hot Chocolate is the most accurate Cupid arrow of them all, but actually being in love is not a fundamental requirement to get caught up by this dose of pure healthy indulgence.

Besides being bursting with flavors able to make any heart buzz, this hot chocolate will pick up the most chilly of the souls. All thanks to the powerful combination of Raw Cocoa and Maca, two very special super foods that fill us with energy and a delicious feeling of well-being, as if all Nature would declare us all of her Love. Curious? Know all about these  true superstars at the end of the recipe.


The coconut whipped cream is not absolutely required, but who doesn't deserve a scoop (or two) of a sweet cloud over their hot chocolate? To drink alone or with your loved ones, the choice is yours, but if I were you, I would be to flying to the kitchen right now.

---

Super Chocolate Quente com Chantili de Coco
V / SG / R
2 pessoas

Ingredientes

Para o Chocolate Quente

500 ml de Leite à vossa escolha, altamente aconselhável de Avelã ou de Sésamo
5 colheres de sopa de Cacau em pó, de preferência cru
4 colheres de sopa de Xarope de Ácer ou Mel
2 colheres de chá de Maca em pó
1/2 colher de chá de Canela em pó
1/4 colher de chá de Gengibre em pó
1 pitada de Cravinho em pó
1 pitada de Pimenta Caiena
1/4 colher de chá de Pasta de Baunilha Natural, opcional
1 pitada de Sal marinho integral
1 colher de sopa de Araruta em pó ou Amido de Milho Biológico, opcional

Para o Chantili de Coco
400 ml Leite de Coco, biológico e gordo
1 colher de chá de Pasta de Baunilha Natural, opcional
1 colher de sopa de Geleia de Arroz, opcional

Para servir
Chantili de coco
Pepitas de cacau cru
Coco em lascas, ligeiramente tostadas
Avelãs, ligeiramente tostadas e picadas grosseiramente
Canela em pó

Dica: A raiz da planta de araruta funciona como um espessante natural e é vendida em pó em lojas de produtos naturais. Se não encontrarem pode-se substituir por amido de milho, de preferência biológico.


Preparação

Para o Chocolate Wuente

Se gostarem do vosso chocolate quente mais espesso comecem por dissolver a araruta em pó ou o amido de milho num pouco de água fria até se formar um creme.
Num tachinho aquecer o leite e um pouco antes de levantar fervura, baixar o lume e acrescentar o creme de araruta. Deixar ferver lentamente por dois minutos até começar a engrossar.
Acrescentar agora todos os outros ingredientes, mexendo sempre, e deixar ferver lentamente por mais dois minutos.
Servir bem quente com uma colherada generosa de chantili de coco, salpicado com canela, pepitas de cacau cru, coco em lascas e as avelãs.

Para o Chantili de Coco
Colocar a lata no frigorífico entre quatro a oito horas, para que a água se separe do creme.
Abrir e com cuidado retirar apenas o creme para um copo misturador alto. Guardar a água para acrescentar a sumos, batidos ou até para enriquecer sopas e pratos exóticos.
Acrescentar a baunilha e a geleia de arroz.
Com um batedor de varas, bater o creme de coco até começar a montar e formar piquinhos, entre três a cinco minutos. Cuidado para não bater demasiado e desmanchar o chantili.
Pode-se guardar no frigorífico num recipiente hermético até cinco dias.

Dica: antes de começarem, coloquem o copo misturador e as varas no congelador por uns 15 minutos. O chantili gosta de tudo bem geladinho!


As Super-estrelas

Cacau cru
Considerado de origem divina pelos Astecas há mais de 3000 anos, o cacau cru é incrivelmente rico em magnésio, essencial para o equilíbrio das reações químicas no cérebro, poderosos flavonoides com propriedades antioxidantes e triptofano, um aminoácido fundamental na produção de serotonina, muito importante para regular o sono e o humor.

Promove essencialmente a saúde dos vasos sanguíneos, o que melhora a circulação do sangue, regula a pressão sanguínea e previne doenças cardiovasculares e estimula a produção de endorfinas que regulam o nosso humor, ajudando a promover sensações de prazer, motivação e bem-estar.

Podemos encontrar cacau cru em lojas de produtos naturais ou online sob a forma de pepitas, manteiga ou pó. As pepitas são os próprios grãos do cacau partidos apenas em pedaços mais pequenos. A manteiga é a gordura que se extrai dos grãos, é muito rica e pode até ser usada como hidratante. Depois de extraída a gordura, os grãos são triturados até ficarem numa pasta, que se desidrata e se transforma em pó.

O cacau cru tem um sabor amargo, bem diferente dos chocolates processados, e ao início podem sentir necessidade de usar uma dose extra do vosso adoçante natural mas deixem que o vosso paladar se habitue a esta nova profundidade. Fica delicioso em todo o tipo de doces e sobremesas, é imprescindível para uma deliciosas trufas raw, cremes de barrar, papas de pequeno-almoço, e muitas bebidas desde os batidos a este poderoso chocolate quente.

Maca
Cultivada no Andes peruanos há mais de 3000 anos, a raiz de maca é usada desde sempre pelas suas propriedades medicinais. É uma poderosa ajuda para melhorar o desempenho físico e mental, aumentando os níveis de energia, resistência e vitalidade, promove a saúde mental, contribui para o equilíbrio hormonal e pode ajudar a combater a infertilidade e distúrbios sexuais.

Com 70% do seu peso em hidratos de carbono complexos, a maca é altamente energética. Apresenta um alto teor de vitaminas do complexo B, C e E, minerais como o ferro, cálcio, magnésio, zinco e selénio, alcaloides que contêm hormonas e esteróis vegetais que equilibram o sistema endócrino ajudando a estabilizar os níveis hormonais e outros poderosos compostos orgânicos que parecem estimular a libido. (Cupido? És tu?)

Funciona ainda como um anti-stress natural, ajudando o nosso corpo a adaptar-se com mais facilidade a mudanças, e pode ajudar a combater situações de fadiga crónica.

É vendida em pó em lojas de produtos naturais e online Tem um sabor doce ligeiramente picante que liga especialmente bem como o sabor do chocolate. Também é ótima em batidos energéticos pré e pós treino, em papinhas de pequeno-almoço ou para dar um toque diferente em muitas sobremesas e gelados. Não é aconselhável consumir mais do que três colheres de chá por dia.

---

Super Hot Chocolate with Coconut Whipped Cream
V / GF / R
Serves 2

Ingredients

Hot Chocolate
500 ml Milk of your choice, highly recommended Hazelnut or Sesame
5 tbsp Raw Cacao powder
4 tbsp of Maple Syrup  or Honey
2 tsp Maca powder
1/2 tsp ground Cinnamon
1/4 tsp ground Ginger
1 pinch of ground Cloves
1 pinch of Cayenne Pepper
1/4 tsp Natural Vanilla Paste, optional
1 pinch of Whole Sea Salt
1 tbsp of Arrowroot Flour or organic Corn Starch, optional

Coconut Whipped Cream
400 ml Coconut Milk, organic and full fat
1 tsp Natural Vanilla Paste, optional
1 tbsp Brown Rice Syrup, optional

To Serve
Coconut Whipped Cream
Raw Cacao nibs
Coconut chips, lightly toasted
Hazelnuts, lightly toasted and coarsely chopped
Powdered Cinnamon

Tip: The root of the arrowroot plant acts as a natural thickener and is usually sold in powder in health food stores. If you can't find it, it can be replaced with corn starch, preferably organic.


Directions

Hot Chocolate
If you like your hot chocolate thick,  begin to dissolve the arrowroot powder or cornstarch in a little cold water until it forms a cram.
In a small saucepan heat the milk and just before it boils, lower the heat and add the arrowroot cream. Simmer slowly for two minutes until it begins to thicken.
Now add all the  other ingredients, stirring, and let simmer gently for another two minutes.
Serve hot with a generous spoonful of coconut whipped cream, sprinkled with cinnamon, raw cocoa nibs, coconut chips and hazelnuts.

Coconut Whipped Cream
Place the can in a refrigerator between four and eight hours.
Open and carefully remove the top cream layer to a mixing bowl. Save the water to add to juices, smoothies or even to enrich soups and exotic dishes.
Add the vanilla and rice syrup.
With a mixer, beat the coconut cream until it begins to assemble and peaking, three to five minutes. Be careful not to beat it too much and loose the whipped cream.
It can be stored in an airtight container in the refrigerator up to five days.

Tip: Before you start, place your mixing bowl in the freezer to chill for about 15 minutes. 


The Superstars

Raw Cacao
Considered divine by the Aztecs over 3,000 years ago, raw cacao is incredibly rich in magnesium, essential for the balance of chemical reactions in the brain, flavonoids with powerful antioxidant properties and tryptophan, an essential amino acid in the production of serotonin, very important to regulate sleep and mood.

Essentially, raw cacao promotes the health of the blood vessels, which improves blood circulation, blood pressure regulation and prevents cardiovascular disease; raw cacao stimulates the production of endorphins that regulate our mood, helping to promote feelings of pleasure, motivation and well-being.

We can find raw cocoa in health food stores or online in the form of nibs, butter or powder. The nibs are the whole cacao beans broken into smaller pieces. Butter is the fat that is extracted from the beans, it's very rich and can even be used as a moisturizer. After the fat is extracted, the beans are ground until a paste, which is dehydrated and turned into powder.

Raw cacao has a bitter taste, very different from the processed chocolates, and in the beginning you may feel the need to use an extra dose of your natural sweetener but let your taste buds get used to this new depth of flavor. It's delicious in all kinds of sweets and desserts, like raw truffles, spreads, breakfast porridge, and many drinks from smoothies to this powerful hot chocolate.

Maca
Cultivated in the Peruvian Andes for over 3000 years, maca root is always used for its medicinal properties. It is a powerful help to improve physical and mental performance, increasing energy levels, endurance and vitality, promotes mental health contributes to the hormonal balance and can help fight infertility and sexual disorders.

With 70% of its weight in complex carbohydrates, maca is highly energetic. It features a high content of vitamins B, C and E, minerals such as iron, calcium, magnesium, zinc and selenium, hormones and alkaloids which contain plant sterols that balance the endocrine system helping to stabilize hormone levels and other powerful organic compounds that appear to stimulate the libido. (Cupid? Is that you?)

It also serves as a natural anti-stress, helping our body to adapt more easily to changes, and can help to combat situations of chronic fatigue.

Maca is usually sold in powder in health food stores and online, it has a slightly spicy fresh taste that combines especially well with the taste of chocolate. It's also great for pre and post workout energy smoothies, breakfast porridge or to give a different touch to many desserts and ice creams. It is not advisable to consume more than three teaspoons a day.


sexta-feira, dezembro 19

Couscous Exótico de Couve Flor :: Spiced Cauliflower Winter Couscous

Please scroll down for English version

Ho, ho, ho!

De volta e com novidades! Ainda não são as derradeiras boas notícias mas consegui finalmente pôr por escrito toda a informação que queria partilhar com vocês e assim ultrapassar uma das maiores metas da minha odisseia literária. Terminei toda a primeira parte do livro que, digamos, ficou um verdadeiro compêndio com tudo o que é preciso saber sobre a alimentação natural e onde vos levo numa viagem  pelos ingredientes que não podem faltar nas vossas despensas com muita informação nutricional para ajudar a esclarecer as dúvidas mais comuns deste género de alimentação e  muitas dicas e truques que fui aprendendo nos últimos anos de aventuras entre os tachos. Enfim, um autêntico ABC da cozinha vegetariana que espero vá ajudar muitos de vocês! Ainda tenho algumas fotografias por tirar, mas acho que agora, sim, é seguro dizer que já faltou mais. Não desistam, não? Prometo que vai valer a pena a espera!

Para comemorar esta pequena grande vitória e assim em jeito de sugestão para as celebrações que se avizinham, trago-vos este Couscous Exótico de Couve Flor, super reconfortante, com ingredientes bem típicos da época mas carregado de perfumes de outros lugares que prometem fazer o brilharete da noite e dar um toque bem diferente à vossa Ceia de Natal! Quem disse que o Natal não pode saber a cominhos, canela e hortelã?

Agora é tempo de me dedicar às prendas deste ano que como já vai sendo tradição, vão sair todas daqui da cozinha! E desse lado? Ainda há alguém nesta lufa-lufa dos últimos dias?


Couscous Exótico de Couve Flor
SG / V
4 pessoas


Ingredientes
500 g de Couve Flor, mais ou menos 1 cabeça
250 g de Grão de Bico, cozido e bem escorrido
300 g de Abóbora Menina, sem casca e sementes
150 g de Espinafres, só as folhas
1 Maçã
75 g de Amêndoas, ligeiramente tostadas
1 mão cheia de Passas
1/2 Malagueta Vermelha, sem sementes
1 1/2 colheres de chá de Sementes de Cominhos
1 pau de Canela, pequeno
2 cabeças de Cravinho
1 colher de sopa de Óleo de Coco
Raspa e Sumo de 1/2 Laranja
Hortelã fresca, só as folhas
Azeite
Sal Marinho Integral
Pimenta preta moída na hora

Preparação
Pré aquecer o forno a 180º e forrar dois tabuleiros com papel vegetal.
Colocar as passas de molho no sumo de laranja.
Cortar a abóbora em cubos, temperar com um fio de azeite, um pitada de canela em pó e um pouco de sal e pimenta, e colocar num dos tabuleiros sem sobrepor.
Temperar o grão de bico com um fio de azeite e um pouco de sal e pimenta e colocar no outro tabuleiro sem sobrepor.
Colocar os dois tabuleiros no forno e deixar assar entre 20 a 30 minutos até que a abóbora e o grão de bico comecem a caramelizar, vigiando de vez em quando.
Separar os floretes da couve flor (aproveitar os caules para um puré ou sopa), colocá-los num processador de alimentos e triturar até que fiquem com uma textura entre o couscous e o arroz.
Numa frigideira aquecer o óleo de coco juntamente com a malagueta picada, as sementes de cominhos, o pau de canela e as cabeças de cravinho. Deixar cozinhar em lume brando por uns minutos para que as especiarias libertem os seus óleos.
Retirar o cravinho e juntar a couve flor e a raspa de laranja. Envolver bem e deixar cozinhar por 5 minutos, mexendo de vez em quando cuidadosamente.
Entretanto lavar bem a maçã, cortá-la em cubos e picar grosseiramente as amêndoas e os espinafres.
Acrescentar tudo aos couscous juntamente com as passas acrescentar ao couscous. Regar com o resto de sumo de laranja, envolver e deixar cozinhar por mais 3 minutos.
Acrescentar a abóbora e o grão de bico envolvendo cuidadosamente com o couscous e verificar os temperos. Se necessário rectificar
Servir morno salpicado com a hortelã grosseiramente picada e umas raspas de laranja.


---


Ho, ho, ho!

 Look who's alive, breading and with some good news! I finally manged to write all the information I wanted to share with you and thus overcome one of the major goals of my literary odyssey. I've finished the first part of the book, and all I can say is that I have prepared a true compendium with everything you need to know about natural cooking. I take you on a trip through all the must have ingredients in your pantries with nutritional information to help clarify the most common questions of this kind of diet and give you many tips and tricks that I've learned in the past few years with my adventures in the kitchen. In short, an authentic 101 of vegetarian cooking that I hope will help many you! I still have some photos to shoot, but I think that now, it's really safe to say that the book is just a few steps away. Don't not give up on me. I promise it will be worth the wait!

To celebrate this small big victory and as suggestions for the days to come, I bring you this Spiced Cauliflower Winter Couscous, a super cozy meal with typical ingredients of the season but overflowing with scents from other places, promising to be the shining stars of the night and give your Christmas dinner a delicious different spin! Who said Christmas couldn't taste like cumin, cinnamon and mint?

Now I'm off to make my gifts that, as it have become a tradition, will all come out of my kitchen! And over there? Is there anyone in this last days hustle and bustle?


Exotic Cauliflower Couscous 
GF / V 
Serves 4

Ingredients 
500 g Cauliflower, about 1 head 
250 g Chickpeas, cooked and well drained 
300 g Butterscotch Pumpkin, peeled and seeded 
150 g Spinach, leaves only
1 Apple 
75 g Almonds, lightly toasted 
1 handful of Raisins
1/2 Red Chilli , seeded
1 1/2 tsp Cumin Seeds
1 Cinnamon stick 
2 Cloves 
1 tbsp Coconut Oil 
Zest and juice 1/2 Orange
Fresh Mint , leaves only 
Sea Salt
Freshly ground black pepper

Directions
Preheat oven to 180 degrees and line two baking sheets with parchment paper. 
Soak the raisins in the orange juice and reserve.
Cut the pumpkin into cubes, season with a little olive oil, a pinch of cinnamon powder and some salt and pepper, and place them in one of the baking sheets without overlapping.
Season the chickpeas with a little olive oil and a little salt and pepper and put them in the another baking sheet without overlapping. 
Bake for 20 -30 minutes until the pumpkin and chickpeas begin to caramelize, keeping an eye from time to time
Cut the florets of the cauliflower (reserve the stems for a puree or soup), grind them in food processor until you get a texture somewhere between couscous and rice. 
In a large skillet heat the coconut oil with the chopped red chilli, cumin seeds, cinnamon stick and the cloves. Leave to cook on low heat for a few minutes so that the spices release their oils . 
Remove the cloves and add the cauliflower and orange zest. Mix carefully with the fragrant oil and let it cook for 3 to 5 minutes, tossing from time to time.
Meanwhile wash the apple, cut it into cubes and coarsely chop the almonds and spinach. Add all to the couscous with the soaked raisins.
Add the rest of the orange juice, mix carefully and cook for 3 more minutes. 
Add the roasted pumpkin and chickpeas to the couscous, mix and check the seasoning. If necessary adjust.
Serve warm sprinkled with some coarsely chopped mint and fresh orange zest.


quarta-feira, setembro 24

Tartines de Figos Assados com Requeijao de Amêndoa :: Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese

Please scroll down for English version

Os meses vão passando e a minha grande odisseia lá vai avançando passinho a passinho... E agora que já lhe começo a vislumbrar o fim, acho que já vos consigo falar de tudo o que se andou a passar por estes lados. Preparem-se que vêm aí queixinhas a sério!

Dizer que tem sido intenso é pouco... Picos de inspiração seguidos de autênticos desertos criativos e um turbilhão imenso de emoções à mistura com a sua quota-parte de lágrimas. Caí no enorme erro de me comparar com as pessoas que admiro e a minha cabeça enchia-se de dúvidas e perguntas... De repente tinha todas as minhas inseguranças ao rubro e às vezes gritavam tão alto que me deixavam completamente paralisada. Muitas noites acordada afundada numa sensação de quanto mais faço mais tenho para fazer e a pensar que se calhar não sou boa o suficiente, que nunca o vou ser, que se calhar as pessoas estão à espera de mais de mim e o livro vai ser uma grande desilusão, a tentar lidar com a vergonha de um dead line há muito falhado e o seu respectivo mas-se-os-outros-conseguem-porque-é que-eu-não-consigo sempre a ecoar lá do fundo. E a maior pergunta de todas... Será que é mesmo isto que eu quero? É que isto de gostar de cozinhar e partilhar o que vou aprendendo a passar a ser oficialmente uma autora de receitas vai um grande caminho e essa responsabilidade deixa-me completamente aterrada. Eu sei, muitos devem estar a pensar... É só um livro de receitas. Mas para mim ganhou um proporção gigantesca. Sufocante mesmo.

Depois vem a parte prática da coisa. As compras sem fim, subir 4 andares com as compras sem fim, pensar nas receitas, escrever as receitas, testar as receitas e corrigir as receitas, a cozinha sempre em pantanas, a loiça para lavar, a loiça senhores, ter o resto do meu T0 bem pequenino transformado num estúdio permanente e andar a tropeçar nos props e cenários espalhados por todo o lado que-não-vale-a-pena arrumar-para-estar-a-voltar-a-tirar, as decisões, as indecisões e e os bloqueios, as fotografias e as suas milhentas repetições porque não estão mesmo, mesmo como eu quero, as crises de identidade, os dias muitos escuros, os dias com demasiada luz e os dias que passam à velocidade da luz, as horas em frente ao monitor para conseguir escolher uma única foto e se-calhar-ainda-vou-repetir-mais-uma-vez-esta-receita... Uff! Correr por gosto cansa, e muito! Tanto que às vezes cheguei a pensar que se calhar não gostava assim tanto.

Mas depois começo a vê-lo a ganhar forma e e lembro-me porque escolhi uma vida entre os tachos. Apesar de saber que nunca o vou achar perfeito sinto-me a encher de um orgulho vaidoso, aquele que vem quando damos conta que estamos a conquistar o maior desafio das nossas vidas. Mesmo que super atrasado. Mesmo com todos os momentos difíceis, dúvidas e frustrações. Não sei bem o que vem a seguir, mas essa sensação vai-me acompanhar para sempre. Também ainda não sei quando vai ser o dia em que vai estar finalmente pronto, mas já faltou mais, muito mais. Estou a fazer tudo para que seja ainda este ano, por isso não desistam de mim, não?

E pronto, é isto. Queixinhas feitas. Ainda está alguém desse lado?

Para compensar e para levantar um pouqinho mais o véu do que aí vem, fica mais uma das receitas do livro. Desta vez umas Tartines de Figos Assados com Requeijao de Amêndoa. Feitas com os reis da estação, assados com um delicioso molho balsâmico, e um requeijão vegan e raw, que aproveita as sobras do leite de amêndoa. São perfeitas para receber os amigos num fim de tarde, mas por cá até já foram pequeno almoço... Mas isso fica aqui só entre nós, combinado?

Obrigada sempre por tantas mensagens de apoio e carinho.

---

Tartines de Figos Assados com Requeijão de Amêndoa
V
4 Tartines

Ingredientes

Para os Figos Assados
6 a 8 Figos
1 colher de sopa de Azeite
1 colher de sopa de Vinagre Balsâmico
1 colher de sopa de Mel ou Xarope de Ácer
1/2 colher de sopa de Rosmaninho fresco

Para o Requeijão de Amêndoa (V / R)
200 g de Polpa de Amêndoa, sobras do leite daqui
1 Alho
2 colheres de chá de Levedura de Cerveja em pó, opcional
1 colher de sopa de Sumo de Limão
2 colheres de sopa de Azeite
2 colheres de sopa de Água
Sal Marinho Integral
Pimenta Preta moída na hora

Para Servir
4 fatias de Pão rústico
Micro Vegetais
Rosmaninho
Pistácios grosseiramente picados

Preparação

Para os Figos Assados
Pré aquecer o forno a 180º.
Lavar os figos e cortá-los em quartos.
Numa tacinha misturar o azeite com o vinagre balsâmico e o mel.
Verter sobre os figos, reservando um pouco para servir, e salpicar com o rosmaninho.
Levar ao forno por 15 minutos até caramelizar.

Para o Requeijão de Amêndoa (V / R)
Colocar todos os ingredientes, excepto a água e os temperos, num processador de alimentos e misturar bem.
Com o processador sempre ligado acrescentar a água aos poucos até atingir a consistência desejada.
Temperar com um pouco de sal e pimenta e misturar.
Pode ser guardado num frasco de vidro hermético no frigorífico entre 3 a 4 dias.

Para Servir
Tostar as fatias de pão e barrar  com o requeijão de amêndoa.
Distribuir os figos assados pelas tartines.

Regar com o molho balsâmico e salpicar com pistácios e os micro vegetais.

---

The months go by and my great odyssey advances baby step by baby step... I'm finally seeing the end of it so I think it's time I tell you all about everything that has happened around here. Warning, some real whining ahead!

Saying it has been intense is selling it short... Peaks of inspiration followed by creative deserts mixed with an immense whirlwind of emotions with its fare share of tears. I fell in the huge mistake of comparing myself to others and my mind  filled up with doubts and questions... Suddenly all my insecurities where up to the roof and sometimes they were so loud that I felt completely paralyzed. Many nights awakened sunk with the overwhelming sense that the more I do the more I have to do and thinking that maybe I'm just not good enough, that I'll never be, that maybe people are expecting more from me and the book will be a big disappointment, trying to deal with the shame of a dead line long over due and it's respective but-if-others-can-do-it-why-can't-I echoing in the silence. And the biggest question of them all... Is this what I really want? I mean, from liking to cook and sharing what I learn to becoming an officially recipe author goes a long way and this responsibility completely grounds me. I know, many must be thinking ... It's just a cookbook. But for me it gained a massive proportion. Massive.

Then comes the practical aspects of it. The endless shopping, climbing my 4 floors with the endless shopping, thinking about the recipes, writing the recipes, testing the recipes and correcting the recipes, my kitchen always in a semi chaos state, the dishes to wash, the dishes lord, having the rest of my petite "open space" transformed into a permanent photograph studio and stumble all over the props and scenarios scattered everywhere because-there's-really-no-point-in-storing-them-because-I'm-always-using-them, the decisions, the indecisions and the creative blocks, the photographs and their thousands repetitions because they are not really, really like I want them, the identity crises, the dark days, the days with too much light and the days that pass by the speed of light, the hours in front of my computer trying to one single photo and I-might-just-gonna-repeat-this-recipe-one-more-time... Uff! Sometimes I got so tired that I even doubted my love for cooking.

But then comes that moment, when I see the book coming to life and remember why I choose to live among my pots. Despite knowing that I will never find it perfect I feel this pride filling my soul, the one that comes when you realize that you are conquering the biggest challenge of your lives. Even if super over due. Even with all the difficult moments, doubts and frustrations. I'm not sure what comes next, but that feeling will follow me forever. I also still don't know when it will finally be ready, that day will come. I'm doing everything I can so that it comes still this year, so don't give up on me!

And that's it. Whining done. Is anyone still there?

To make it up to you and lifting the veil a bit more of what's coming, here's one more recipe from the book, these Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese. Made with the kings of the season, baked with a delicious balsamic sauce, and a vegan and raw cottage chees that uses the leftover pulp of homemade almond milk. They are perfect share with friends in one of this fall evenings, but around here they have even been breakfast ... But that's just between us here, deal? 

Thank you always for so many messages of support and affection.

---

Rosted Figs Tartines with Almond Cottage Cheese
4 Tartines 

Ingredients 

Roasted Figs 
6 to 8 Figs 
1 tbsp olive oil 
1 tbsp of Balsamic Vinegar 
1 tbsp of Honey or Maple Syrup 
1/2 tbsp fresh Rosemary 

Almond Cottage Cheese (V / R) 
200 g Almond pulp, leftover milk 
1 Garlic Clove
2 tsp of Nutricional Yeast, optional 
1 tbsp of Lemon Juice 
2 tbsp olive oil 
2 tbsp water 
Sea Salt 
Freshly ground black pepper 

To Serve 
4 slices of Bread 
Micro Greens
Rosemary
Coarsely chopped Pistachios 

Directions

Roasted Figs
Preheat oven to 180 degrees. 
Wash the figs and cut them into quarters. 
In bowl mix the olive oil with the balsamic vinegar and honey. 
Pour over the figs, reserving some to serve, and sprinkle with rosemary. 
Bake for 15 minutes until caramelized. 

Almond Cottage Cheese (V / R) 
Place all ingredients, except water and seasonings in a food processor and blend.
With the food processor running, add water gradually until it reaches the desired consistency. 
Season with salt and pepper and mix again. 
Can be stored in an airtight glass jar in the refrigerator between 3-4 days. 

To Serve 
Toast the slices of bread and spread with almond cottage cheese. 
Distribute the roasted figs on the tartines. 
Drizzle with the rest of the balsamic sauce and sprinkle with pistachios and micro greens.


quinta-feira, maio 22

Tarteletes de Mousse de Chocolate e Abacate :: Chocolate Avocado Mousse Tartlets

Please scroll down for English version

1, 2, 3 Teste... 1, 2, 3 Teste! Alguém desse lado? 

É difícil de acreditar que já se passaram quase 6 meses desde a última vez que me sentei por aqui. 6 meses de trabalho intenso completamente embrenhada nesta imensa odisseia que é escrever-fotografar-produzir um livro de receitas completamente sozinha! Na verdade andava a preparar um post de regresso com um sneak peek do livro e onde vos conto tudo sobre os meus últimos tempos. Com algumas queixinhas pelo meio, claro... É que isto de pensar em comida literalmente 24 horas por dia, todos os dias, nem sempre é fácil e afinal quem corre por gosto também se cansa! Mas isso vai ter de ficar para uma outra vez... Agora há promessas a cumprir e há por aqui umas certas tarteletes tão vaidosas que não aguentaram mais e tiveram de vir dar um ar da sua graça! 

Estas Tarteletes de Mousse de Chocolate e Abacate são uma das receitas do livro, e foram a primeira coisa em que pensei quando recebi o convite para participar numa reportagem sobre alimentação vegetariana e natural. Toda a gente sabe o meu amor por sobremesas mega saudáveis e achei que estas tarteletes eram um exemplo perfeito para mostrar que não precisamos de deixar de ser gulosos ao mesmo tempo que nutrimos o nosso corpo.

São totalmente vegan e as bases têm uma versão de ir ao forno e outra completamente raw, com todos os nutrientes e enzimas a estalar de energia. A mousse... Bom, a mousse é qualquer coisa. Incrivelmente macia, intensa e ao mesmo tempo leve... Por momentos não parece sequer legal. Unh-unh... É assim tão boa!

Mas o melhor de tudo é que alia os super poderes do cacau cru com os do abacate, numa combinação deliciosa de anti oxidantes com uma das melhores gorduras do mundo. Sobre o cacau já vos contei tudo aqui  por isso hoje os 15 minutos são do incrível abacate. Nesta era do Light e do 0% a palavra gordura ganhou má fama, mas é importante perceber que existem diferenças fundamentais nos tipos de gorduras. As gorduras más, coisas artificias como gorduras trans ou hidrogenadas, e as boas, as  mono ou poli saturadas, essenciais para o nosso organismo. As gorduras boas são uma  fonte importante de energia, vitaminas A,D, E e K e têm um papel fundamental na absorção de outros nutrientes, como vitaminas lipo solúveis e muitos anti oxidantes.

Os abacates são extremamente rico em gorduras monossaturadas, o mesmo tipo de gordura do azeite e dos frutos secos, essenciais para a absorção de muitos nutrientes e para proteger o coração e o sistema nervoso, equilibrando os níveis do colesterol e melhorando a circulação sanguínea.  Este tipo de gordura ajuda a reduzir o colesterol total e o mau colesterol, o LDL, aquele que se acumula nas paredes arteriais, enquanto mantêm os níveis do bom colesterol, o HDL, que transporta o colesterol das paredes arteriais até o fígado, para ser eliminado. O abacate pode também ser fonte de ácidos gordos Ómega 3, gorduras polinsaturadas, que o nosso corpo não consegue produzir e precisa obrigatoriamente de ir buscar à alimentação e que são fundamentais para a saúde cardiovascular e manutenção de uma boa função cerebral. O Ómega 3 está também naturalmente presente em muitas fontes vegetais como nas sementes de linhaça, chia e cânhamo e nos frutos secos, no entanto a sua absorção não é tão fácil como a proveniente de fontes animais (peixes gordos como o salmão, sardinhas e cavala) daí ser aconselhado aos vegetarianos e vegans terem especial atenção no consumo deste ácido gordo. Para ajudar a absorção de Ómega 3 vegetal é ainda recomendada uma redução do consumo de Ómega 6, presente na maior parte dos óleos vegetais como o girassol, soja e milho.

Os abacates estão também recheados de phytonutrientes e antioxidantes que lutam contra o envelhecimento das células e vitaminas e minerais, como a vitamina A, vitamina C e vitamina E, e o selénio, manganésio e zinco, que nos ajudam a manter uma pele bonita e o cabelo saudável. São ainda um snack ideal, graças à concentração de fibras e gorduras saudáveis, que permitem uma libertação de energia mais lenta e prologam a sensação de saciedade.

Et voilá... Uma sobremesa carregada de coisas boas a mostrar que a gulodice e a nutrição podem e devem andar de mãos dadas! Quem é que já está a correr para a cozinha para ir fazer estas pequenas maravilhas?

Agora, com licença, vou voltar à minha labuta e terminar este livro... Não se preocupem, o sneak peek não ficou esquecido!

See you later, my delicious alligators!! ;)

---

Testing 1, 2, 3... Testing! Anybody out there?

It's hard to believe that it's been almost 6 months since the last time I sat here. 6 months of intense work completely caught up in this great odyssey that is to write-shoot-produce a cookbook completely alone! I was actually preparing a comeback post with a sneak peek of the book, where I tell all about my recent days. With some little whining in the middle, of course... You know, thinking about food literally 24 hours a day, every day, is not always fun and games, and I discovered that you do get tired even when you're doing something you love!  
But it will have to stay for another time ... Now I have promises to keep and I heard about some tartlets so, so proud that they couldn't wait any longer!

These Chocolate Avocado Mousse Tartlets are one of the recipes in the book, and they were the first thing I thought when I received the invitation to participate in a TV piece on vegetarian and natural food . Everyone knows my love for mega healthy desserts and I found that these tartlets were a perfect example to show that we need to ignore our sweet tooth while we nourish our body .

They are totally vegan and the crusts have one baked version and one completely raw, with all the nutrients and enzymes bursting with energy. The mousse ... Well, the mousse is really something. Incredibly smooth, intense and light at the same time... You'll doubt if it is even legal! Unh - unh... It's THAT good!

But the best of it all, is that it combines the super powers of raw cacao with avocado, a delicious combination of anti oxidants with one of the best fats in the world. I already told you all about the cacao here, so today the 15 minutes go to the incredible avocado. In this era of Light and 0 %  the word fat gained a bad reputation but it is important to realize that there are fundamental differences in the kind of fats we can get. The bad ones, artificial things like trans or hydrogenated fats, and the good ones, mono or poly unsaturated, that are essential for our body. The good fats are an important source of energy, vitamins A, D , E and K and have a key role in the absorption of other nutrients such as  lipo soluble vitamins and many anti oxidants .

Avocados are extremely rich in monounsaturated fats , the same type of fat present in olive oil and nuts. This type of fat helps reduce total cholesterol and the bad cholesterol, LDL, the one that builds up on arterial walls, while maintaining the levels of good cholesterol, HDL, which transports cholesterol from the arterial wall to the liver for elimination. Avocados are also a great source of Omega 3 fatty acids, polyunsaturated fats that our body can not produce and must get from food and that are key to cardiovascular health and maintaining a good brain function. Omega 3 is also naturally present in many plant sources and in flax, chia and hemp seed, in nuts and some algae, but its absorption is not as easy as when it comes from animal sources ( fatty fish such as salmon , sardines and mackerel ) so its highly advised to vegetarians and vegans have to have special attention in the consumption of this fatty acid. To an optimal absorption of vegetable Omega 3 is recommended a reduction in the consumption of Omega 6, present in most vegetal oils such as sunflower, soy and corn.


Et voilá... A dessert loaded with good things to show that delicious treets and nutrition can and should go hand by hand ! Who's running to the kitchen to make these little wonders ? :)

Now, excuse me, I have a book to finish ... Do not worry, the sneak peek has not been forgotten! 

See you later my delicious alligators!! ;)

---

Tarteletes de Mousse de Chocolate e Abacate
SG / V / R
4 tartes


Ingredientes

Para as bases

Versão Forno
175 g de Coco ralado
250 g de Cajus naturais
1 1/2 colher de sopa de Óleo de Coco
1 1/2 colher de sopa de Cacau em pó
2 colheres de sopa de Farinha de Trigo Sarraceno
2 colheres de sopa de Agave, ou outro adoçante líquido natural
1/2 colher de chá de Canela em pó
1 colher de sopa de Água Fria
1 pitada de Sal Marinho Integral

Versão Raw
150 g de Sementes de Girassol, demolhadas por 8 horas
150 g de Coco ralado
100 g de Avelãs, demolhadas por 8 horas
1 1/2 colher de sopa de Cacau Cru em pó
1 1/2 colher de sopa de Óleo de Coco
4 Tâmaras Medjool, sem caroços
1/2 colher de chá de Canela em pó
1 colher de sopa de Água Fria
1 pitada de Sal Marinho Integral

Para a mousse
2 Abacates médios
4 colheres de sopa de Cacau Cru em pó
50 g de Pepitas de Cacau Cru, derretidas em banho maria
3 colheres de Sopa de Agave, ou outro adoçante líquido natural
3 vagens de Cardamomo
1/2 colher de chá de Pasta de Baunilha Natural
1 pitada de Sal Marinho Integral

Para servir
Pistácios ligeiramente tostados
Coco em lascas tostado


Preparação

Para as bases

Versão Forno
Pré aquecer o forno a 180º  e untar 4 forminhas de tarteletes de cerca de 12 cm de diâmetro.
Colocar o coco ralado e os cajus num processador de alimentos e triturar até se obter uma farinha grossa.
Acrescentar o cacau, a farinha, a canela e o sal e moer mais uns minutos.
Juntar o óleo de coco, o agave e a água e continuar a misturar até se formar uma bola.
Dividir em 4 bolinhas iguais, forrar as formas uniformemente com a massa e se possível deixar repousar por 15 minutos no frigorífico.
Levar ao forno entre 15 a 20 minutos até que fiquem douradas.
Retirar e deixar arrefecer por uns minutos antes de desenformar.
Deixar arrefecer completamente para rechear com a mousse.

Versão Raw
Untar 4 forminhas de tarteletes de cerca de 12 cm de diâmetro.
Colocar as sementes de girassol, o coco ralado e as avelãs no processador de alimentos e triturar até se obter uma farinha grossa.
Acrescentar o cacau, as tâmaras, a canela e o sal e misturar até encorpar totalmente.
Juntar o óleo de coco e a água e voltar e continuar a misturar até se formar uma bola.
Dividir em 4 bolinhas iguais, forrar as formas uniformemente com a massa e reservar no frigorífico por 1 hora ou no congelador por 30 minutos.Para servir desenformar cuidadosamente antes de rechear com a mousse.

Para a mousse
Cortar os abacates ao meio, com uma colher retirar a polpa.
Abrir as vagens de cardamomo, retirar as sementes e esmagar num almofariz.
Colocar todos os ingredientes num processador de alimentos e misturar até se obter um creme macio.


Rechear as tarteletes com uma dose generosa de mousse e salpicar com os pistácios e o coco grosseiramente picados.

---

Chocolate Avocado Mousse Tartlets
GF / V / R
4 tarts


Crust

Baked version
175 g grated Coconut
250 g raw Cashews
1 1/2 tbsp  Coconut Oil
1 1/2 tbsp Cacao Powder
2 tbsp Buckwheat Flour
2 tbsp Agave or other liquid natural sweetener
1/2 tsp Cinnamon powder
1 tbsp Cold Water
1 pinch of Sea Salt

Raw version
150 g Sunflower seeds , soaked for 8 hours
150 g grated Coconut
100 g Hazelnuts , soaked for 8 hours
1 1/2 tbsp Raw Cacao Powder
1 1/2 tbsp Coconut Oil
4 Medjool dates , pitted
1/2 tsp Cinnamon powder
1  tbsp Cold Water
1 pinch of Sea Salt 

Mousse
2 medium Avocados
4 tbsp Raw Cacao Powder
50 g Raw Cacao Nibs , melted in bain marie
3 tbsp Agave or other liquid natural sweetener
3 Cardamom pods
1/2 tsp Vanilla natural paste
1 pinch of Sea Salt 

To serve
Slightly toasted pistachios
Toasted coconut flakes


Directions

Crust

Baked version
Preheat the oven to 180º and grease 4 tartlet pans with 12 cm.
Place the grated coconut and cashews in a food processor and grind until a coarse flour.
Add cacao, flour, cinnamon and salt and grind a few more minutes.
Add the coconut oil , agave and water and continue mixing until it forms a ball.
Divide the dough into 4 equal balls, line the pans evenly with the dough and if possible let it rest for 15 minutes in the refrigerator.
Bake for 15 to 20 minutes until golden .
Remove and allow to cool for a few minutes before removing the tarts from the pans.
Let cool completely to fill with mousse.

Raw version
Grease 4 tartlet pans with 12 cm..
Place sunflower seeds, grated coconut and hazelnuts in a food processor and grind until a coarse flour.
Add cacao, dates ,cinnamon and salt and and grind a few more minutes.
Add the coconut oil, and water and continue mixing until it forms a ball.
Divide the dough into 4 equal balls, line the pans evenly with the dough and reserve in the refrigerator for 1 hour or in the freezer for 30 minutes.
To serve, remove the tarts from the pans carefully before filling with mousse.


Mousse
Cut the avocados in half, and with a spoon remove the pulp .
Open the cardamom pods, remove the seeds and crush in a mortar .
Place all ingredients in a food processor and mix until a smooth cream.


Fill the tartlets with a generous dose of mousse and sprinkle with pistachios and coconut coarsely chopped.



Fontes nutricionais aqui :: Nutritional fonts here